Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Myebook - Macondo #1 (Revista literária) - click here to open my ebook

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas:

publicado às 10:45


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Yollande D'Artout a 23.05.2011 às 15:17

Si, si! Mui elegante!

Seguir-te por ai, tem feito a saudade de uma outra Pátria, a que só conheci na relação com a paternidade, ir diminuindo.
Causa-me espanto e me amedronta ficar na espreita do que virá se alojar nesse lugar.

Escrita é garimpo. Poesia... asas. Música, louvor à Divindade. Canções, entusiasmo! Literatura mesmo, acho que não é nada. Ou melhor, um modo de, tentar talvez, identificar ou até mesmo conseguir, eventualmente, apagar as marcas.
Sem imagem de perfil

De Yollande D'Artout a 29.05.2011 às 16:14

Anotações de abril.

De repente! Eu respirei
De repente! Não era Verão.

No banco da Praça, quase deserta, de olhos fechados
com O Livro no colo
eu nem lembrava que roupa estava vestindo!

E de repente! sem motivo aparente
Eu (!) (?) ... de repente! Estava sorrindo.
Sem imagem de perfil

De Yollande D'Artout a 02.06.2011 às 13:44

Saudades de ti, poeta!

Freud é um grande escritor. Mais se pensa nele como o criador da Psicanálise do que como o autor afiadíssmo que é. Teve grandes insites, quando visitou Athenas...


Suerte! Fortuna y Amor !
Sem imagem de perfil

De claudia ribeiro a 11.06.2011 às 17:06

Mais que Perfeito.

Gosto daquele céu escuro e quente, frio e luminoso da capa do Livro. Gosto do estilo como apresentas tua obra e foi uma suspreza ver-te falando em casa, na Leiria, pois já que não apareces por aqui, fui a dezembro, para achar quem busca no cotidiano o que é raro, o que é mistério, o que é belo, mais do que é "simples".
Poucos autores nos proporcionam este gozo de poder seguir pensando enquanto lemos. Le-se o que está escrito, descobre o que não está, como se lá estiveramos.
Gostaria de rever o poema em que chamas o poeta, um parvo, é mto divertido e tb o do cartaz no Metro.
Contigo, sinto-me por vezes igual às crianças, que não se cansam de ouvir mil vezes as histórias contadas pelos avós, quando estes, c/ a mestria dos anciãos, tratam, quando querem, de hipnotizá-los antes de adormecerem, TODOS !
Sem imagem de perfil

De Kátia Suelotto a 14.06.2011 às 14:14

Querido Zé Luís, parabéns pela entrevista: pela simpatia e humildade, sempre! Beijo, Paz e Amor :)

Comentar artigo




Instagram


papéis jlp
Arquivo de recortes sobre José Luís Peixoto e a sua obra.

projecto moldura

galveias no mundo






install tracking codes
Visitors since may 2015

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



page contents





Perfil SAPO

foto do autor